Tag Archive: SARESP


Top Fail 2009

Olá, pessoas. Esse é meu primeiro post inédito no wordpress, desde que mudei de provedor. Fiquei muito tempo sem postar, talvez escreva mais durante as férias. Mas vamos ao que interessa (interessa?).

O ano de 2009 está acabando e apesar de provavelmente este não ser o último post do ano, não poderia deixar de fazer uma ‘retrospectiva’, ou melhor, um Top Fail. Foquei nos acontecimentos que mais foderam minha vida me incomodaram durante o ano, mas aceito sugestões :D. Adelante:

3ºGripe Suína

Graças aos amiguinhos suínos, o mundo parou por alguns meses, tive férias forçadas que zoaram meu cursinho (tá, e o de todo mundo), minhas cutículas se acabaram de álcool em gel e até hoje as pessoas não se cumprimentam como antes. Sem tirar que putz, até eu que quero Medicina acho aquela máscara de cirurgião cafona pra usar na rua.

Francamente vocês conseguem notar como a mídia só dá ênfase em algum problema de saúde pública quando a prevenção não é mais uma forma de solução? Foi assim com a Dengue, fizeram o mesmo com a Gripe Suína e farão assim com quantas mais epidemias aparecerem…

2º São Paulo nem Faz Escola

E em todos os anos em que encarei o tenebroso ensino público, acho que esse ano foi, em especial, patético. Vamos por partes:

O governo IMPÔS uns caderninhos bimestrais como modelo de aula para todas as escolas públicas daqui de São Paulo. Só que os ditos cujos, chegavam meses atrasados em todas as edições (lembrando que um bimestre em anos humanos tem 2 meses, como um material bimestral atrasa MESES? Si pá ele era impresso com a periodicidade dos anos de cachorro). Além do pequeno inconveniente do atraso, o material era uma porcaria. Tinha erros gramaticais (e não me venha culpar a nova ortografia), erros de conteúdo e até mesmo erros de cartografia! Até o que tava certo tava errado pelo material ser tão mal feito. Mas se o problema estivesse apenas no fato do material ser ruim tava tudo certo, afinal os professores realmente dedicados poderiam seguir sem ele e dar uma aula decente. Isso se a Secretaria da Educação não cobrasse as tarefas dos malditos caderninhos, que ocupavam o precioso tempo das aulas com baboseiras.

1º Lugar –  ENEM

Como começar a falar da prova mais mal feita a nível nacional? Primeiro dão uma baita moral pro Enem: as principais universidades PÚBLICAS (que nunca deram bola pra essa bagaça, sobretudo as federais) se responsabilizaram em aderir o Enem como grande parte da nota. Até as mais cobiçadas, como a Ufscar, fizeram do processo seletivo uma obrigatoriedade.

Oba, vamos fazer o Enem e se inscrever naquela federal do fim do mundo que sua família falou que nunca deixaria você cursar. Depois de responder o questionário mais interminável e estúpido, além de desnecessário da sua vida, você passa todas as mol de questões no gabarito. Empolgado, pesquisa todas as federais que vão utilizar o Enem (e descobre que o Acre existe).

– Vamos fazer o Enem?

– Não.

– Por que?

– Roubaram o Enem.

– Roubaram?! O.O

– Roubaram.

Não sei ao exato se esse foi o pior. Depois do vexame, liberaram a prova que foi roubada. Não vou ser arrogante o suficiente pra dizer que a prova tava ridícula, mas o fato é que após ter visto a prova, as universidades mais cobiçadas de São Paulo (do Brasil, oi?) deram banana pro Enem. Foram as poderosas: Usp (Universidade de São Paulo) e Unichamps Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).  A única das paulistas que se manteve após o barraco foi a prima pobre Unesp, o que não amenizou muito.

Ainda sim houve Enem. Umas prova exaustiva, cheia de ‘pegadinhas e típicos desafios matemáticos’ e textos quilométricos. Como disse um grande amigo meu: o tema de redação foi no MÍNIMO irônico. Qual foi o tema? Algo que associava corrupção e ética. Engraçadinhos.

Em qualquer vestibular do mundo alguns inscritos faltam. O Enem 2009 obteve nada menos do que 37,7% de abstenções. Meu, isso dá uns 2/5 dos inscritos, né? Bem feito pro MEC.

*************************************************************************

Esses foram os primeiros colocados, mas como a lista é extensa, resolvi dar um Prêmio de consolação

Troféu Abacaxi : SARESP

A prova é, por si só, ridícula. Não cobra todas as disciplinas, é fraca e alienada. Se a escola consegue uma boa pontuação, rola um bônus para os funcionários, como um biscoitinho de cachorro pra um animalzinho obediente. Se não consegue, os professores são os culpados. Os professores culpam os alunos. Os alunos acreditam que não tem mesmo futuro, e param de estudar para sustentar um mercado de trabalho escravagista. As coisas são assim. Se ninguém agir, nunca vai mudar.

Mas voltemos as provas. Que atrasaram. Simplesmente chegaram UMA SEMANA depois do combinado. Ah, pra mim chega, né? Seriam 3 dias de prova, teria vestibular do domingo. Quer saber? Eu não vou fazer saresp nem F-U-D-E-N-D-O!

Ao saber disso, meu colegas de sala queriam saber meus motivos. Desabafei, falei que todos nós eramos vítimas de um sistema de ensino falido, recauchutado, que formava profissionais pro trabalho escravo e…

-Você não vai fazer o Saresp, Carol?

-Não

-O que pode acontecer com quem não fizer?

-Nada

-Mas a diretora disse que é obrigatório.

-Ela mentiu.

Pronto, nunca foi tão fácil fazer um boicote na minha escola. Já comentei sobre isso no outro post, mas queria deixar melhor expressa minha revolta.

E sobre isso o meu atual desejo para 2010 é: Mate-o, esquarteje-o e queime os pedaços: Fernando Haddad, e finalmente a menina que não gosta de política descobriu o culpado de seus principais problemas.

Evaporizem-o, por falvor

Bjos

Anúncios

(quinta-feira, 26 de novembro de 2009)

Vou ali me matar e já volto… Mas posso dar um grito antes? Tá:

– Ãhrram.*pigarreando * AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHH!

*respiração ofegante*

Pronto.

Gente, cada absurdo que tem me acontecido. Já ouviram falar do SARESP? Como não?! Ok, se quiserem ouvir falar, podem fechar a janela do google, vou facilitar pra vocês:

Essa é uma cópia de um dos panfletos distribuídos na frente da minha escola, um dia antes do SARESP. Aí você (se tiver algum senso crítico, é claro) irá se perguntar: – Mas por que vocês protestam contra o SARESP?!

Tá, como diria meu amigo Jack (o estripador), vamos por partes:

– Não queria induzir ninguém a boicotar o SARESP comigo (logo, não fui eu quem chamou a UMES pra panfletar).

-Sim, eu faltei os três dias de prova. Isso é boicote, né? 😀

– Não protesto contra os professores, tão pouco contra a escola em si (apesar desta ter complicado minha vida nos últimos meses), mas contra um sistema de ensino fracassado e contra a tentativa barata do Governo Serra em parabenizar os alunos que “apesar dos pesares” fossem bem nessa prova.

-Era uma prova relativamente fácil pelo que soube, mas que não cobrava várias disciplinas. A que conclusão chego com isso? TRABALHADOR BRAÇAL NÃO PRECISA DE UMA ESCOLA DECENTE!

– Eu não tô fazendo um ano de cursinho alternativo para fazer uma prova para minha escola se dar bem (afinal rola um ‘bônus’ para os professores cujos alunos se destacarem) e ninguém lembrar que eu tô me lascando de estudar.
Results: Não fiz a prova, vários amigos meus foram no dia e ANULARAM o gabarito (ri horrores quando soube) e como “castigo” nossa vice-diretora cancelou nossa colação de grau =/
Ainda tem muita coisa por vir, mas relaxa que eu informo vocês 😀

Esquecendo essa baboseira toda de SARESP, com a correria meu quarto tinha ficado uma bagunça, e ontem minha vó me fez arrumar ele T.T

Saiu meio caminhão de lixo, cheguei a conclusão de que meu armário tem mais livros que roupas! Achei uma pasta gigante, cheia de papéis antigos. Fucei, separei o que não jogaria fora  e até fiz uma “anotação poética” a respeito, que deixo pra vocês curtirem:

“O que é isso? São papéis. Desenhos antigos, resumos de livros, uma antologia poética, folhas canson que achava ter jogado fora, revistas de antigos ídolos musicais, minha primeira carta com um pedido de namoro, letras de musicas que fiquei por traduzir, dois mapas da América (um só da América do Sul) feitos em papel vegetal, um conto inacabado (na verdade uma fan-fic), rascunhos, uma carta do meu último aniversário em Guarujá e umas tabelas em inglês. Nada importante, mas tudo muito precioso para ser jogado fora. Mas meu quarto tava uma bagunça, precisava arrumar aquelas coisas, e agora estou aqui, com 80% da cama dominada por papéis e escrevendo isso que, daqui há alguns anos, virará um desses papéis acumulados no armário.”

E só pra relembrar, o vestibular da Famema é no domingo agora. Sala 04, Colégio Cristo Rei… Estarei sozinha. Meus amigos todos (grandissíssima maioria) prestarão áreas humanas, dois dos três vestibulares que eu tinha que fazer eu já fiz, e vejo mais um ano (no mínimo) de cursinho pela frente.

Estou exausta, meu ano letivo se nega a acabar, e as pessoas se negam a parar de cobrar o máximo de mim. Apenas desabafar não está funcionando mais. Ignorar os fatos, definitivamente, não os altera. Cansei, vou acabar explodindo, e isso não vai ser bom.